Porto . 2016-2018
Habitação . 200m2

A Casa de António Patrício está integrada num conjunto de três casas iguais e insere-se num lote estreito e comprido com três pisos, um deles em cave, duas frentes e jardim nas traseiras. Apresenta uma organização típica da casa burguesa portuense do início do século XX, com os dois pisos superiores destinados ao uso diário e interligados entre si através de uma escada central, e com o piso em cave destinado a um uso mais técnico e com acesso através de uma escada secundária.   
Apesar do razoável estado de conservação em que a casa se encontrava, a fachada posterior já tinha sofrido alterações no sistema construtivo e na dimensão e localização dos vãos que a descaracterizavam e tornavam necessária a sua intervenção. Nesse sentido, procurou-se reabilitar os elementos construtivos existentes e intervir pontualmente nas zonas mais degradas e/ou descaracterizadas, utilizando soluções baseadas em materiais e técnicas tradicionais, minimizando o impacto no edifício, preservando e valorizando as suas características originais e respondendo ao pretendido pelos proprietários. A introdução de novas infra-estruturas, nomeadamente hidráulicas, eléctricas, de telecomunicações e de climatização, importantes para melhorar os níveis de conforto e de segurança do edifício, foi pensada de forma a colidir o menos possível com os elementos construtivos existentes.
O piso -1, em pior estado de conservação, e com uma relação directa com o jardim que se pretendia potenciar, foi alvo de uma maior transformação em termos de elementos construtivos e de organização espacial. Neste piso assumiu-se uma linguagem mais contemporânea através da criação de um espaço único, amplo, com aberturas mais francas para o logradouro, de forma a conferir-lhe um carácter mais nobre. Também o acesso interior a este piso, bastante degradado e com um carácter mais secundário, foi alterado, dando lugar a uma escada interior metálica constituída por uma única chapa de aço pintada de branco que se desdobra e liga os dois pisos, agarrando-se ao piso superior através de um ripado em madeira, também pintado de branco. As paredes deste espaço, reduzidas apenas às fachadas principal e posterior e às paredes meeiras existentes em alvenaria de granito, foram também caiadas de branco, contrastando com os pilares em ferro fundido instalados no centro do espaço, em substituição dos pilares em betão existentes.
Nos dois pisos superiores, piso térreo e 1º piso, que mantiveram o uso original, salas e quartos, respectivamente, a intervenção foi pontual, decorrente de necessidades específicas, optando-se pela preservação de tectos, soalhos e carpintarias interiores. Nas instalações sanitárias e na cozinha procurou-se adoptar materiais de revestimento compatíveis com os existentes, como a marmorite, de forma a manter alguma continuidade entre os espaços.
A fachada posterior, que se encontrava em muito mau estado de conservação, teve de ser substituída por uma nova fachada em estrutura de madeira, repondo os materiais e alinhamentos originais, com a aplicação de chapa ondulada na zona central, rebocando o volume lateral em alvenaria de pedra correspondente às instalações sanitárias. Em ambas as fachadas, as janelas, que se encontravam num estado de conservação muito precário, foram substituídas por réplicas em madeira, melhorando a eficiência energética e o comportamento acústico do edifício.
A relação com o jardim a partir do piso 0, através de uma escada exterior de tiro em betão, construída em data incerta, mas seguramente posterior à construção original, foi também alvo de transformação e deu lugar a uma nova escada em estrutura metálica com degraus revestidos a madeira e guarda metálica em rede, inspirada nos desenhos originais da fachada.

Arquitectura: Joana Leandro Vasconcelos e Mafalda Cabeleira
Especialidades: Estabilidade . NCREP - Consultoria em Reabilitação do Edificado e Património, Lda; Restantes Especialidades . DAJ Engenheiros Associados, Lda
Construção: FL Construções (Cobertura) e Coeng Construção
Fotografia: José Campos, Architectural Photography

Porto . 2016-2018
Single family dwelling . 200m2

António Patrício House is integrated in a set of three identical houses and inserted in a narrow and long lot with three floors, two fronts and a garden in the back. It presents a typical organization of Porto’s bourgeois house of the early twentieth century, with two upper floors for daily use, a central staircase, and a technical basement with a secondary staircase.
In spite of the house reasonable state of conservation, the back façade had already undergone modifications in the constructive system and size and location of doors and windows, that made its intervention necessary. In this sense, we tried to rehabilitate the existing constructive elements and intervene punctually in the most degraded and/or decharacterized zones, using solutions based on traditional materials and techniques, minimizing the impact on the building, preserving and valuing its original characteristics and responding to the owners pretensions. The introduction of new infrastructures, such as hydraulic, electrical, telecommunications and air conditioning, which are important for improving the comfort and safety levels of the building, has been designed to collide as little as possible with existing building elements.
With a direct relation with the garden that we intended to potentiate, the basement was the house location that was in worse state of conservation and was object of a greater transformation in terms of constructive elements and spatial organization. In this floor, a contemporary language was embraced with the creation of a single open space, with more openings to the garden, in order to give it a nobler nature. Also, the interior access to this space, rather degraded and secondary, has been altered and replaced with a metallic interior stairway composed by a single, painted steel plate that unfolds and connects the two floors, clinging to the top floor through a wood slatted, also painted white. The interior walls in this space corresponding to the main and back façades and the existing lateral walls in granite masonry, were also whitewashed, contrasting with the cast iron pillars installed in the centre of the space, replacing the existing concrete pillars.
In the two upper floors, ground floor and first floor, their original use was maintained, living rooms and bedrooms, respectively. The intervention was punctual, due to specific needs, opting for the preservation of ceilings, floors and interior carpentry. In restrooms and kitchen, the intention was to adopt compatible materials to the existing ones, like terrazzo flooring, in order to maintain some continuity between spaces.
Due to its poor state of conservation, the back façade had to be replaced, giving way to a new wooden structure, original materials and alignments were restored with the application of corrugated plate in the central zone and towing the lateral masonry volume. In both façades, the windows, which were in a very precarious state of conservation, were replaced by wooden replicas, improving the energy efficiency and acoustic behaviour of the building.
The relationship between the garden and ground floor was done through an external concrete staircase, built at an uncertain date, but surely after the original construction. This connection was also transformed and gave rise to a new metallic ladder with wooden steps and metal guard net, inspired by the original designs of the façade.

Architecture: Joana Leandro Vasconcelos and Mafalda Cabeleira
Engineering Projects: Stability Project . NCREP - Consultoria em Reabilitação do Edificado e Património, Lda; Other Projects . DAJ Engenheiros Associados, Lda
Construction: FL Construções (Roof) e Coeng Construção
Photography: José Campos, Architectural Photography