Porto . 2015-2017
Habitação . 370m2

A Casa de Costa Cabral é um exemplo claro de como a arquitectura se vai ajustando às necessidades de cada tempo. Construída originalmente em 1926 para habitação unifamiliar, e inspirada certamente na arquitectura de Raul Lino, sofreu alterações interiores e exteriores, ainda que pontuais, nos anos 50 e foi, posteriormente, em 2000, adaptada para uma instituição de ensino de forma mais intrusiva e descontextualizada.
Construída num lote estreito e comprido de gaveto, numa das ruas mais movimentadas do Porto, soube dar resposta às necessidades de privacidade dos proprietários e, ao mesmo tempo, relacionar-se com a cidade, através da criação de dois acessos distintos. A casa afasta-se da rua, criando um percurso perimetral e permitindo a criação de quatro frentes. No lado menos movimentado é criado ainda um espaço de logradouro mais privado.
Quando os actuais clientes a compraram, a casa era uma mistura de estilos e de espaços que a descaracterizavam e que tornavam difícil a percepção do seu potencial. Foi apenas após a análise e o estudo cuidado das diversas sobreposições que se tornou claro o caminho a percorrer pela arquitectura.
Originalmente, a casa assumia uma separação clara entre o piso térreo e o primeiro piso, onde o piso térreo era assumidamente uma zona de serviços e o primeiro piso albergava as zonas sociais e privadas da casa. Nos anos 50, com a introdução de uma nova escada em betão armado, a relação entre os dois pisos foi estreitada, passando o piso térreo a ser utilizado também para funções sociais. Actualmente, não havia distinção entre os dois pisos, sendo que ambos albergavam salas de aulas e instalações sanitárias.
Pretendia-se agora adaptar os espaços às exigências e necessidades específicas dos clientes, tendo em conta a reposição do uso original - habitação unifamiliar, e as diversas alterações sobrepostas. Nesse sentido, optou-se por instalar os espaços sociais da casa no piso térreo, libertando o primeiro piso para os quartos e biblioteca. Para além desta separação entre os pisos, a casa estabelecia um corte no sentido longitudinal em ambos os pisos, que definia um eixo visual e que permitia uma separação clara de funções. Esta zona, assumidamente longitudinal, sofreu mais intervenção por ter sido mais intervencionada e adulterada nos anos 2000, e passou a albergar os espaços de serviço e as instalações sanitárias, tanto no piso térreo, como no primeiro piso, concentrando as áreas húmidas e libertando as restantes zonas da presença das infra-estruturas hidráulicas.
Os elementos estruturais e construtivos, em particular as carpintarias interiores e exteriores, foram preservadas e reabilitadas, tendo em conta esta sobreposição de tempos e estilos. Nesse sentido, tirou-se partido destas diferenças, assumindo materiais e acabamentos diferentes nos dois pisos, como forma de preservação da memória de separação clara entre pisos, característica do projecto original. As fachadas foram reabilitadas, preservando o seu valor patrimonial. A imponente escada de betão armado foi também reabilitada, continuando a enriquecer a zona central da casa  com a sua presença.
Num edifício marcado pela soma de intervenções de diferentes épocas, a pesquisa histórica, seguida de uma análise cuidada dos vários elementos construtivos permitiram preservar um conjunto construtivo de grande valor patrimonial, valorizando os elementos construtivos do edifício, tanto os originais como os adquiridos em intervenções posteriores. Tudo isto, garantindo, em simultâneo, uma melhoria das condições de utilização e de conforto do edifício, condição fundamental para os clientes.

Arquitectura: Joana Leandro Vasconcelos, Alba Gil Taboada e Luísa Paiva
Especialidades: NCREP - Consultoria em Reabilitação do Edificado e Património, Lda
Construção: Smeaton - Engenharia e Construção, Lda
Fotografia: José Campos, Architectural Photography

Porto . 2015-2017
Single family dwelling . 370m2

Costa Cabral House is a clear example of how architecture adapts over time, responding to changing needs. Originally built in 1926 for a single family, and certainly inspired by the architecture of Raul Lino, it underwent interior and exterior alterations, although punctual, in the 50's and was later adapted, in 2000, to be a teaching institution in a more intrusive and decontextualized way.
Built on a narrow and long lot in a corner of one of the busiest streets in Porto, privacy was one of the client’s highest demands, and at the same time, it was important to relate to the surroundings through the creation of two different accesses. The house is detached from the street and has four fronts, allowing the creation of a perimeter path around it and, on the quieter side, a private backyard is created.
When the current owners acquired the house, it had a mixture of styles and fragmented spaces that demeaned it and made it difficult to perceive its potential. It was only after a careful analysis and study of the various overlaps that the architectural path to be followed became clear.
Originally, the house had a clear separation between ground floor and first floor, where the ground floor was supposedly a service area and the first floor housed the social and private areas of the house. In the 1950s, with the introduction of a new reinforced concrete staircase, the relationship between the two floors was narrowed, leading the ground floor to be used for social functions as well. Recently, there was no distinction between floors and both had been used for classrooms and restrooms.
It was now intended to adapt this featureless space, taking into account the owners specific requirements and reviving its original use – single family dwelling, harmonising the various overlapping changes. In that sense, it was decided that the social spaces should be accommodated on the ground floor, vacating the first floor for bedrooms and library. In addition to the separation between floors, the house established a longitudinal section on both floors, which defined a visual axis and allowed a clear separation of functions. This particular area was heavily adulterated in the 2000s, which lead to the creation of service spaces and restroom facilities here, both on ground floor and first floor, concentrating the hydraulic infrastructures.
Structural and constructive elements, in particular interior and exterior carpentries, were preserved and rehabilitated, taking into account the overlapping of styles and periods. In this sense, architecture took advantage of all the juxtapositions and differences, assuming different materials and coatings on both floors, in order to preserve the memory of the previous separation between floors, characteristic of the original project. The façades were rehabilitated, preserving their patrimonial value. The grand reinforced concrete’s staircase was also rehabilitated, continuing to enrich the central part of the house with its presence.
In a building marked by different epoch’s sum of interventions, historical research followed by a careful analysis of the various constructive elements, allowed to preserve a constructive set of great patrimonial value, treasuring the building’s constructive elements, both original and acquired in later interventions, while ensuring an improvement in use and comfort conditions, fundamental preconditions for the clients.

Architecture: Joana Leandro Vasconcelos, Alba Gil Taboada and Luísa Paiva
Engineering Projects: NCREP - Consultoria em Reabilitação do Edificado e Património, Lda
Construction: Smeaton - Engenharia e Construção, Lda
Photography: José Campos, Architectural Photography